O lugar da contemplação na vida cristã



Salmo 46

DEUS é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia. Portanto não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se transportem para o meio dos mares. Ainda que as águas rujam e se perturbem, ainda que os montes se abalem pela sua braveza. Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo. Deus está no meio dela; não se abalará. Deus a ajudará, já ao romper da manhã. Os gentios se embraveceram; os reinos se moveram; ele levantou a sua voz e a terra se derreteu. O SENHOR dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio. Vinde, contemplai as obras do SENHOR; que desolações tem feito na terra! Ele faz cessar as guerras até ao fim da terra; quebra o arco e corta a lança; queima os carros no fogo. Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus; serei exaltado entre os gentios; serei exaltado sobre a terra. O SENHOR dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio.

Como cristão que viveu sua infância e adolescência no meio pentecostal nunca imaginei que um dia iria escrever um texto com este título, ou pregar sobre o assunto. A primeira vez que ouvi falar de contemplação foi quando estudava história da igreja e mais especificamente o período monástico.

Confesso que na época me parecia algo estranho sem nenhuma conexão com o Evangelho. Foi somente há um pouco mais de quatro anos, depois de deixar a infância da fé para trás e mergulhar nas escrituras em busca da Palavra e não de um texto, que contemplar passou a ser uma realidade em minha vida. Junto a isso tive a bênção de morar em frente a um parque ecológico. Todos os dias contemplo o céu azul, o verde da mata, o brilho das águas e o branco das gaivotas.

Hoje gostaria de compartilhar com vocês a importância da contemplação na vida cristã, e como ela pode beneficiar sua vida como um todo.


Segundo o dicionário Aurélio contemplação pode significar:
1. Aplicação demorada e absorta da vista e do espírito.
2. Meditação profunda.
3. Consideração, deferência:
4. Rel. Conhecimento de Deus e das realidades divinas não por vias e métodos discursivos e, sim, pela vivência.

Eu poderia a partir destas definições dizer que contemplação é o uso integrando da mente e do espírito focando-se em algo. Assim não há vida plena sem contemplação, não há verdadeiro conhecimento sem ela, não há amor.

Vivemos numa época agitada onde, mas do nunca precisamos optar pelo que Maria optou como nos sugere a passagem de Lc 10,38-42. No texto a contemplação é chamada de “a melhor parte”. Maria não estava agitada, nem mesmo queria mostrar nada ao Mestre, ela queria apenas contemplar, absorver tudo daquele momento. Maria vivia naquele momento uma real união com Deus. Com isso não estou querendo dizer que ações não têm lugar na vida cristã, estou querendo apenas resgatar o hábito de estar diante do Mistério em silêncio, reverência e absorto. Creio até que os que contemplam são os que devem agir com mais sabedoria e serem agentes de transformação do mundo, pois saímos da contemplação com mais vontade de servir ao próximo e a toda a criação.

Maria estava diante de Deus e como ela aqueles que contemplam buscam penetrar em Sua essência. Estes não procuram sair de Sua presença, eles repousam diante do objeto amado. Estar diante de Deus em contemplação é estar aberto a Ele, atento e nesse sentido contemplação é um estado de atividade no mais elevado sentido da palavra, que traz consigo a autêntica atualização da pessoa, a verdadeira vida espiritual na sua forma mais intensa.

A contemplação das obras criadas também deve nos conduzir ao Criador. Não é disso que falam os diversos salmos? E o que dizer da oração? Pode ser ela contemplativa? Claro que sim. A oração deve envolver nossa mente e nosso espírito, portanto deve ser contemplativa. As orações agitadas, nervosas que aprendi na minha infância eram meras palavras muitas vezes decoradas. Foi somente quando me dediquei a orar como o Senhor nos ensinou (Mt 6.5,6) que comecei a sentir Deus presente em minhas orações.

E não é somente a oração que pode ser contemplativa a leitura bíblica também pode, e foi somente quando passei a ler assim as escrituras que a Palavra a mim foi revelada, antes tinha texto, hoje tenho Palavra, antes produzia sermão, hoje escuto a Voz de Deus.

Sei que se os discípulos de Cristo atentarem para o valor da contemplação toda a Comunidade ganha com isso, pois contemplando o Senhor também o contemplaremos no outro, no próximo, naqueles de quem Ele disse “ quando servistes a um destes pequeninos a mim me serviste” (Mt 25,35-36). Se escolhermos a melhor parte sairemos deste encontro convertidos, conscientes da Graça que nos cerca que é a fonte de todo bem.

Meu conselho é que paremos um pouco, dediquemos nossa mente e espírito a Ele, e em tudo que fizermos tenhamos um espírito contemplativo que descansa Nele e na certeza do “está consumado”. Oremos com este espírito, cantemos com este espírito, sirvamos com este espírito.

Lembrem-se o amor nasce da contemplação.

Ivo Fernandes

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Amizades reais em tempos virtuais

A conformidade com o mundo e a banalidade do mal

Cristo nossa páscoa e esperança