quarta-feira, 6 de agosto de 2008

A paz de Hoje


Estou em paz, é até estranho dizer isso - A paz não seria comum a quem diz ter fé? Sim, tenho paz, mas jamais deixei de em tudo ser atribulado. Vivi momentos muitos bons nesses últimos dias, mas não deixei de saber que sou um homem não tão estável.

Antes quando orava voltava ao começo de tudo, quase como que dizendo que nada em mim estava resolvido. Voltava a minha infância, aos dias que meus pais haviam me deixado para trás, aos dias de brincadeiras solitárias. Voltava a minha adolescência e a minhas primeiras experiências de pecado conscientes e doloridas. Lembrava do meu quarto, das lágrimas e da solidão. Enxergava todos os meus erros de novo, e por todos sofria. Agora não é assim, estou em paz com meu passado.
Consegui ver além do que antes enxergava. Agora vejo Graça na minha infância, nos braços das mulheres que me acolheram e com amor me criaram. Vejo criatividade sendo produzida em cada brincadeira em que estava sozinho. Vejo a viagem da consciência na jornada da minha vida. Sim, aprendi e estou aprendendo com meus erros.
Creio estar em paz porque deixei de ter muitas expectativas. Sei que só tenho o dia chamado Hoje. Não sofro mais as angústias de ter que fazer algo ou apresentar resultados. O que eu sou sei que sou Nele e isso basta, sabendo que é Ele que forma em mim sua própria imagem.
Já não tenho mais os desejos megalomaníacos dos líderes religiosos que me cercam. Não quero mais a glória deste mundo, nem os aplausos humanos. Não busco mais ser um grande líder. Quero apenas ser e continuar no caminho do Evangelho.
Esses dias foram bons. Estive com minha mulher e com meus filhos e sobrinhos. Isto é a vida – saber aproveitar o Hoje junto a quem de verdade importa. Quero ser a cada dia um marido, pai, tio e amigo melhor e sei que para isso basta eu amar de verdade.

O Caminho que sigo, sei, é cheio de vales, mas creio que Ele está comigo. Não temerei mais a morte, pois até ela foi vencida e já não significa fim. Posso dizer que hoje pela primeira vez não temo mais minha condição de pecador, pois sei que Ele justificou o ímpio. Posso dormir seguro, porque sei que Ele me sustenta.
Quero continuar neste Caminho onde cada dia é necessário nascer de novo, para a que a realidade do reino seja sentida aqui e agora. Já não tenho mais barganhas a fazer com ninguém. Esse é o dia que o Senhor me deu e quero vivê-lo.
Ivo Fernandes
09 de julho de 2007

Nenhum comentário:

O papel das emoções no desenvolvimento do câncer

O tema proposto ainda é motivo de discussões entre especialistas, apesar da crescente admissão da relação entre as emoções e as doença...