segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

O mentiroso



O mentiroso é um doente, sua vida acontece na mentira. Sua história se constrói plenamente na ilusão, que inicialmente, pode ou não, ser por ele reconhecida. Porém, com o passar do tempo sua mentira, que no momento inicial pode ter nascido de uma brincadeira, ou qualquer motivo fútil passa a ser mantida por uma cadeia de mentiras subseqüentes.

A partir dessa realidade envolvida em mentiras, o ser mentiroso mergulha cada vez mais num mundo obscuro. Suas emoções estarão comprometidas com a mentira que passa a ser a verdade do indivíduo.

Um homem nesta situação justifica-se a si mesmo por ter uma consciência vencida pelo engano. Já não mais distingui realidade de ficção, mentira de verdade, bem de mal.

Esse estado é um estado adoecido. Não podemos ver o mentiroso que assim vive de outra maneira, senão como um doente. É claro que isso não é razão para ignorar-se o que se disse e que se fez, mas para se manter a consciência que estamos lidando com um ser que já perdeu a sua.

Quando adquirimos esse saber sobre o estado do mentiroso, sabemos diferenciar um homem que mente por causa de uma situação ou de um vacilo moral, daquele que toda a sua situação de vida é uma mentira.

Ivo Fernandes
26 de janeiro de 2009



Nenhum comentário:

Ídolos – da construção à necessidade de destruí-los

O termo ídolo não é um termo usado em nossa nação comumente. Aparece mais nos discursos evangélicos numa referência a qualquer entidad...