O propósito de Deus – A Imagem do Homem.


Todo esquema teológico ou filosófico precisa partir de um tema a fim de que se desenvolvendo abarque todos os demais temas possíveis. Isso se chama sistematização.

Mesmo reconhecendo os limites do conhecimento humano, e a finitude que não nos deixa ver nada além de nós mesmos(Is 55.8,9), a menos que a nós seja Revelada outra verdade(Lc 10.21), assumo o risco de afirmar que todo pensar teológico precisa partir da questão do propósito de Deus.

Isso porque, partir da questão de Deus mesmo é impossível. Afinal quem é Deus? O que Deus é? Deus estará sempre acima dos conceitos que podemos fazer dele. O propósito também estará além de nossas especulações, mas acredito que de alguma maneira não estamos tateando no escuro. O propósito foi revelado.

E qual é o propósito de Deus? Conduzir os homens a imagem de Seu Filho (Rm 8.29; 2 Co 3.18; Ef 1). Sendo este o propósito tudo o mais será visto dentro dele, afinal neste processo nenhum dos seus planos podem ser impedidos (Jó 42.2).

A própria Queda deve ser vista dentro deste propósito. Afinal foi por meio desta via que nasceu a consciência e por meio dela o entendimento da Graça que sustenta.

Adão enquanto ser-antes-da-queda era algo não classificável. Sua ‘consciência’ não era uma com-ciência. Seu saber estava limitado pela não-experiência. E tudo que podemos dizer a respeito dele é que a história humana é pós-Queda.

A Queda mesmo tendo feito os homens deixarem sua condição essencial e os lançarem numa existência finita e paradoxal, os lançou também num caminho de busca – a busca pelo fundamento do ser. Habita neste ser um saber que se sabe incompleto, imperfeito, mas que o fala de um caminho possível de reconciliação com o Ser-fundamento.

A encarnação do Verbo nos fala que por este caminho é que somos conduzidos ao Fundamento. Qual o propósito da encarnação se não fosse de fato em Cristo, Deus conduzir os homens a si mesmo, levá-los a serem conforme Sua imagem.

Para isso o Espírito tem conduzido os homens a se reconciliarem com Deus, pois é somente ligado ao Fundamento que de fato o homem pode ser chamado de pleno.

Salvação é o caminho de torna-se quem se é em Cristo. Daí todo caminho que conduz o homem para um ser-que-não-se-é chama-se condenação. Salvação é tornamo-nos a melhor versão de nós mesmos, versão essa que tem seu fundamento em Deus.

Ser como Cristo é ser plenamente consciente de quem se é, de quem Deus é, e do que somos Nele. E o caminho de ser quem se é só é vida se for trilhado no solo da Graça, pois sem graça buscar saber quem se é conduz o homem a morte. Buscar saber quem se é pelo caminho da serpente é enganar-se e ver-se perdido de si mesmo e do Fundamento, o que gera toda espécie de medo, culpa, dor, confusão e morte.
Ser como Cristo é ser liberto para ser apenas o que se é. E o que se é, é aquilo que Nele somos. Nele está nossa realidade. Em Cristo se manifestou o que haveremos de ser, pois na verdade Nele já somos. Esse é o caminho dos homens a Deus, uma jornada de transformação de glória em glória.

Em Jesus, Deus nos mostrou Sua face. Em Jesus, Deus também revelou a nossa. E não somente o fim, mas o caminho, afinal se somos o que somos Nele, não poderá haver outro caminho que não seja Ele mesmo.

Ivo Fernandes
1 de abril de 2009

Comentários

Joey disse…
Apesar de hoje ser 1º de abril, espero que nada do que você tenha escrito aí seja mentira, hehehee!!! Porque é bom demais ser quem eu sou Nele!

Amplexos!
Suderland disse…
Olá Ivo, tudo em Paz!

Ivo, ótimo texto, conciso e revelador.

Me permita só fazer um comentário. Você escreveu o seguinte: "Buscar saber quem se é pelo caminho da serpente é enganar-se e perder e ver-se perdido de si mesmo e do Fundamento, o que gera toda espécie de medo, culpa, dor, confusão e morte."

Quanto a buscar saber quem se é pelo caminho da serpente, na visão das religiões orientais, anular o próprio eu?!? Eles ao se depararem com o seu eu e verem todas suas imperfeições não buscam anular essas imperfeições ao invés de transformá-las, pela graça de Deus?!

O que me dizes, mano?!?
Um forte abraço e saudades de vc.
Mano Suderland,

Sem dúvida, o caminho da auto-anulação do ser num mergulho no Absoluto-Nada como pensam algumas ideologias orientais, também é um fuga do Caminho, é uma busca que afasta o ser do Fundamento, a fim de não se veja Nele.

Abraços
Suderland disse…
Amém!!! :)

Ivo, finalmente formei aquele grupo com um amigo querido. Estamos nos reunindo todas as quintas feiras numa pracinha na Santos Dumont. Se um dia quiser aparecer por lá é só avisar, vc será sempre bem-vindo.;)

O grupo é pequeno, são só umas 5 pessoas, mas tudo é feito segundo o Evangelho. No momento estamos apenas lendo o Evangelho de Mateus.

Um forte abraço, mano!!!
paulo disse…
Muito interessante e inteligente esse artigo. Você, pastor, está de parabéns!
Essa é mais pura verdade.
Suderland,

Fico feliz por este grupo. Quando precisarem de alguma força é só avisar.

Abraços
Este comentário foi removido pelo autor.
Este comentário foi removido pelo autor.
Suderland disse…
Obrigado, Ivo. Agradeço de coração. Se precisarmos de um apoio já sei a quem recorrer.

Que a PAZ de CRISTO esteja com você e sua família.

Um forte abraço! :)

Postagens mais visitadas deste blog

Amizades reais em tempos virtuais

A conformidade com o mundo e a banalidade do mal

Cristo nossa páscoa e esperança