II Sobre o sacerdócio de Jesus segundo a Ordem de Melquisedeque



A religião fundamentalista jamais conceberá ou permitirá que em seu seio se fale do sacerdote Jesus segundo a ordem de Melquisedeque, pois falar Dele é anular tudo aquilo que a sustenta. Trata-se de saber que Ele pode se revelar sem o auxílio da religião. É saber que a fé é algo simples que nasce no coração daqueles que buscam a Verdade.

Os doutores de deus (em minúsculo, posto que o verdadeiro Deus não pode se deitar na mesa cirúrgica dos homens a fim de ser investigado) só enxergam fé pelo princípio do conhecimento doutrinário e/ou teológico. É necessário saber sobre trindade, predestinação, livre arbítrio, santificação, boas obras, moral cristã. Para eles é necessário aprender sobre os devocionais, frases de poder, adquirir os dons especiais, etc. A teologia dos homens procura explicar coisas que só se sabem sentindo.

Em Jesus o Sacerdote Eterno segundo a Ordem de Melquisedeque o que vale é se àquele que se aproxima do Divino, crê. Nos Evangelhos a maioria das pessoas que se aproximaram Dele não sabiam nada sobre justificação pela fé, não sabiam nada sobre a Trindade, nem sobre o batismo. E Jesus não insistiu com nenhum deles para que dessas coisas aprendessem. Ele simplesmente perguntava – crês – e então dizia – a tua fé te salvou.

Tudo isso é insuportável para essa religião que deseja ser a representante oficial de Deus na terra e assim gerenciar suas ações, definindo o que Ele pode ou não fazer. Jesus está acima da religião e em todos os lugares tem chamado homens e mulheres a um encontro com o Divino.

Todos os homens que reconhecem o Mistério conforme a fé simples da alma serão salvos. Sei que o que digo é o que o Evangelho ensina e é insuportável para tal religião.

Não se pode trancafiar a Deus por meio de doutrinas, dogmas, moral, liturgias, e coisas semelhantes a essas. Ficarão de fora todos os que assim tentam fazer conforme disse Jesus nos Evangelhos. Há muitos homens encontrando o Nome enquanto os “filhos da religião” estão discutindo conceitos doutrinários. A festa está pronta, os convidados estão chegando, e de fora estão todos os presunçosos que só sabem condenar os que não vestem as vestimentas da religião.

Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito está dizendo a igreja.

Ivo Fernandes
2006

Comentários

Mateus Saturnino disse…
É por aí!

Postagens mais visitadas deste blog

Amizades reais em tempos virtuais

A conformidade com o mundo e a banalidade do mal

Cristo nossa páscoa e esperança