sexta-feira, 3 de junho de 2011

Sobre os homossexuais



Estas semanas que passaram recebi e-mails e conversei com pessoas que queriam saber minha posição sobre o homossexualismo e/ou a homossexulidade.
Bom! O que posso dizer? Antes de tudo vejo a vida a minha volta. E o que vejo? Vejo que homossexuais existem, e estão não só nas boates gays, mas também dentro das igrejas, nos seminários e pregando nos púlpitos. Essa é uma realidade, só não ver quem não quer. Já conversei com muitos que me contaram suas histórias e suas lutas contra suas disposições, em razão de considerarem pecado ou impróprio. E com tudo que ouvi e pela convicção de minha própria queda, creio que a homossexualidade é mais uma das expressões da Queda,e portanto da existência, assim como a heterossexulidade, ou qualquer outra expressão sexual.
O problema é que a religião tornou o sexo o pior pecado e o homossexual a pior pessoa. Julgamos-nos deuses no que tange a definirmos a condição eterna das pessoas. Mas nas escrituras vemos que as coisas nem sempre são como aparentemente deveriam ser. Como fala o Caio em uma de suas cartas, basta olharmos para Uzá e Davi e vê que os dois não cumpriram os mandamentos a respeito do templo e da arca, mas um foi morto pela boa ação e outro nem sequer foi advertido por Deus com suas ações diante da Arca e quando comeu dos pães. Assim deixo para Deus o papel de nos julgar.
O que faço então? Ajudo as pessoas a se encontrarem em Cristo, pensarem-se no Novo Ser, pois só Nele somos quem realmente devemos ser. Enxergo a todos como irmãos, participante da mesma natureza pecaminosa e carentes da mesma Graça. Sou um pregador da Graça e acredito que só quando o indivíduo se enxerga em Cristo, o Novo Ser, é que quaisquer possibilidades de cura, paz e bem para alma se efetuam.
Aqueles que acham que digo uma blasfêmia já não tenho nada a dizer a estes. Os que acreditam que é influência do homem, convido a lerem de novo o Evangelho e responder a pergunta: - O que Cristo faria? Eu prego e o resto é o caminho do indivíduo, e só dele em Deus.
Não sou a favor de movimentos partidaristas em prol da causa gay, e nem dos partidos evangélicos contra a causa gay, apesar de entendê-los, sou a favor do Evangelho que é Vida para todos. Não julgo ninguém e nem me afastarei de ninguém, exceto daqueles que cheios de suas presunções moralistas já condenaram o resto dos homens ao inferno, esquecendo das críticas de Cristo aos defensores morais de sua época.
O que é isso frouxidão moral? Em hipótese alguma, pois na Graça da mesma forma que não há espaço para qualquer espécie de legalismo, também, não há lugar para nenhum tipo de libertinagem. O espaço é para ser. Na Graça o que se há é Amor gerando mudança.
Que Deus me ajude a levar a carga dos irmãos e eles levarem as minhas.

Nele que foi chamado de amigo dos pecadores

Ivo Fernandes
Escrito em 2006

2 comentários:

Nair Morbeck Sobrinha disse...

Muito bom texto Ivo..é assim que penso também...devemos olhar a todos além de suas aparências e aceitá-los como Jesus o faria em Amor.

Shalom

Adelson Muniz disse...

Bom dia ! Você afirma que a homossexualidade assim como a heterossexualidade são espressão da queda.Isso só pode ser verdade se crermos que Adão e Eva não praticavam sexo antes da queda. Se crermos que praticavam sexo antes da queda não podemos afirmar que a heterossexualidade é uma expressão do pecado.

O papel das emoções no desenvolvimento do câncer

O tema proposto ainda é motivo de discussões entre especialistas, apesar da crescente admissão da relação entre as emoções e as doença...