quinta-feira, 21 de julho de 2011

O que é ser espiritual?




Confesso que essa questão já me fez muitas vezes quebrar a cabeça, não só porque a queria compreender intelectualmente, mas principalmente por causa da luta de ser ou não ser.

Antes quando lia Paulo (por causa da influência pentecostal) imagina o ser espiritual com alguma coisa que tinha a ver com santidade e essa era vista nas obras de cumprimentos das listas de podes e não podes. O resultado foi desesperador. Por mais que me esforçasse não conseguia cumprir a lista, assim só me restava me ver como homem carnal, natural e jamais espiritual, podendo assim ou deixar a fé ou me tornar um cínico ou um louco.

Bom, pensei poder estar errado em minha forma de entender a questão. Então no segundo momento (influenciado pelas leituras filosóficas) pensei se tratar de duas realidades que não se misturavam, era espiritual na alma e carnal no corpo, assim vivia duas realidades em uma. Isso não me fez bem, por alguma razão pensava que o Evangelho não poderia ser tão pouco aponto de não conseguir realizar nada na minha existência.

Daí, busquei ler tudo de novo (agora sem nenhuma influência- coisa que eu acho ser impossível, mas tentei) o resultado foi algo que não sei se vou conseguir explicar mas tem sido até o momento o que creio.

Para mim, o ser espiritual é uma condição-estado dos que estão em Cristo Jesus, e estar Nele não significa estar numa agremiação religiosa, ou mesmo saber dele algo histórico. Penso que estar Nele é um ato de Graça que Ele mesmo realizou, fazendo com que Nele todos os homens fossem novas criaturas, filhos de Deus, agradáveis a Si no Amado, santos, irrepreensíveis, perfeitos como o Pai, espirituais. Penso que nada disso é resultado de alguma ação humana, isso é Graça.

Bom, e o que acontece comigo na existência, visto que essa posição-estado é nos lugares celestiais conforme Paulo. Aqui é onde penso entrar a fé. Se creio que sou aquilo que Nele sou e não aquilo que em minha carne pareço ser, então prossigo para o Alvo, então procuro andar no Espírito, então descanso. E à medida que pela fé nisto ando a minha velha natureza não terá sobre mim a força de antes visto que não mais vivo para ela, mas para Aquele que me conquistou para vir a ser o que Nele já sou.

É nisto que creio.

Ivo Fernandes
2010

2 comentários:

Lu Rodrigues disse...

Muito bom seu texto!

A adolescência na batista fundamentalista, tão nociva quanto qualquer pentecostal, com sua lista interminável dos "pode e não pode" me fizeram passar um tempo longe de Deus e ele não tinha nada a ver com essas neuroses... feliz foi o dia em que me apercebi disto e volte para seus braços de amor, e passei a ser nEle o que me está proposto em Cristo.

Um bjo, mano, no processo,

Lu

Antônio Augusto Zoppi disse...

o "Amor" tudo pode e tudo suporta. A vantagem do Cristão é que ele sabe que esta no mundo, mas é filho de Deus. Sei que sou, onde estou e para onde vou. Glória a Deus!

A justificação pela fé – uma exposição no Caminho

Leitura:  Romanos capítulos 1 a 3 A doutrina da justificação pela fé é um dos principais pilares da fé cristã, em especial a prote...