terça-feira, 2 de setembro de 2014

Conhece teu próprio caminho?


A sabedoria do prudente é entender o seu caminho

Você conhece o próprio caminho? Sabe de onde veio e para onde vai? E não estou me referindo a questões metafísicas, falo mesmo do próximo passo.
Conhecer a si mesmo e seu próprio caminho é a chave para conhecer todo o restante, como já anunciava a inscrição no templo de Apolo: ” Ó homem, conhece-te a ti mesmo e conhecerás os deuses e o universo.” — Inscrição no oráculo de Delfos, atribuída aos Sete Sábios (c. 650a.C.-550 a.C.)
O provérbio pode ter muitas interpretações, entre elas a de focar o conhecimento naquilo que procede do próprio indivíduo e não da multidão de opiniões. É claro que confiar em nosso conhecimento interior não nos livrará de cometer enganos. Mas certamente vai nos permitir aprender com nossos erros, uma vez que toda a responsabilidade será nossa.

Para seguir o caminho deste autoconhecimento é preciso coragem para questionar as estradas fixas nos impostas. O conhecimento é como água para matar a sede, não adianta saber do outro que bebeu da água, minha sede não será saciada com essa informação recebida, é preciso saber por si mesmo, é preciso beber a água.

O seu caminho só pode ser percorrido por você mesmo. Cada indivíduo tem de estar consciente, alerta, atento, experimentar com a vida. E descobrir o que é bom para ele. O que lhe dá paz, serenidade e harmonia. Ninguém mais pode decidir isso por você - pois cada indivíduo tem seu próprio mundo, sua própria sensibilidade. Ele é único.

Sem esse conhecimento não há como desenvolver aquilo que chamamos de maturidade, pois a mesma só advém das experiências pensadas. Penso que essa é grande meta da existência que cada um conheça e siga o seu próprio caminho. E no fim descobriremos que o Caminho era a própria meta.

Existem muitos caminhos nos dados, seja pela sociedade, pela religião, pelas ideologias, mas tais caminhos são apenas estradas fixas pois o verdadeiro caminho está ligado aos seus pés, portanto é totalmente novo, ligado apenas a sua própria caminhada.

O que lhe impede de seguir essa jornada? O medo de errar. Os erros são certos e importantes na caminhada, pois se os erros são seus eles mesmos lhe indicarão o outro caminho. Portanto, não tenha medo de errar, de percorrer caminhos errados. Aqueles que têm muito medo de cometer erros e de percorrer caminhos errados ficam paralisados. Permanecem onde estão; jamais se movem.

Com isso não estou estimulando o desprezar daqueles que fizeram seus caminhos e nos servem de inspiração. No entanto, esses mestres que fizeram cada um deles seu próprio caminho não devem ser imitados quanto aos seus passos, mas quanto aos seus espíritos

E muito cuidado na caminhada não se deparar com alguma coisa que o atrai racionalmente. Lembre-se pode parecer verdadeiro à sua razão, mas isso não significa que seja verdadeiro. A não ser que você o experimente, que você experimente algo através dele, nada foi descoberto. O critério supremo encontra-se sempre em seu íntimo. Experimente e sinta. E, a menos que você experimente alguma coisa, não acredita que a encontrou, que o caminho lhe foi revelado. Somente através da experiência é que as teorias se transformam em verdade. E não estou falando dos sentidos, pois sei que esses também enganam, estou falando do espírito.

O caminho do espírito é feito no silêncio e na oração. E porque isso é preciso? Para não se confundir o espírito com projeção da mente, sonho ou desejo. O fruto do espírito é paz. Se não tens esse fruto ainda não está no caminho. O caminho verdadeiro nunca ficará só no discurso, ele é revelado na vida.

Se os teus olhos são luz todo teu corpo é, nos ensinou o Nazareno. Se o interior muda, o exterior também muda, mas o contrário não é verdadeiro. Você pode mudar o exterior e não há necessidade de que o interior mude. Esse é o significado da hipocrisia nos seus ensinos.

O mesmo Nazareno disse: Eu sou o Caminho! O que isso quer dizer? Que só há um jeito de experimentar a Verdade e a Vida, seguindo o Caminho, o seu próprio caminho do qual Ele é o grande arquétipo

Ivo Fernandes

28 de agosto de 2014

Nenhum comentário:

O papel das emoções no desenvolvimento do câncer

O tema proposto ainda é motivo de discussões entre especialistas, apesar da crescente admissão da relação entre as emoções e as doença...