segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Conselhos aos jovens cristãos


No último mês fiz algo que fazia tempo que não era a minha dedicação primária – falei a jovens – atividades que exerci durante muitos anos em minha vida, como líder de juventude e pastor. Fiz nesses últimos dias em virtude de uma necessidade na estação que mentorio e por convite de uma igreja amiga.

No último culto que participei fiquei atento ao comportamento dos jovens presentes naquela reunião, dos 13 aos 25 anos. E lembrei do meu tempo de adolescência e juventude e de todas as minhas experiências.

Hoje fazendo uma retrospectiva sei que muito do que vivi foi próprio da imaturidade e paixão da minha adolescência. E muitas das coisas que vi e vejo na juventude cristã de hoje não mudaram muito das do meu tempo. Porém outras coisas mudaram, como, por exemplo: o apelo comercial ‘gospel’ travestido de adoração; condição hormonal-psicológica dos jovens sendo captada para desenvolverem o que chamam de “extravagância”; a necessidade de referências produzindo ídolos gospel e ou fundamentalistas; e a velha incapacidade de entender o que está por trás dos fenômenos em razão de estarem mais ligados as sensações do que ao pensamento.

Em épocas de facebook e WhatsApp a rapidez da informação está cada vez mais associada ao fim do pensamento crítico, e a promoção de uma criticidade sem pensamento. Levantam-se bandeiras que não são essências e tomam-se partidos sem envolvimento verdadeiro com as causas. Todos tornam-se alvos fáceis das figuras que sabem manipular as caraterísticas da juventude e desse tempo.

Bom, eu tenho 3 filhas e a mais velha tem 15 anos e não gostaria de vê-la presa do sistema evangélico-capitalista-idólatra que tem produzido gente, idiotado, preconceituoso, raivoso, e sem noção. Não desejo que se inspire ao pastores-shows que desejam viciar jovens em doutrinas como se fosse cocaína, muito menos em fundamentalistas metidos a inteligentes ou em cantores que só desejam ganhar grana e para isso vendem uma pseudo-espiritualidade. Desejo filhos que amem a Deus, mas que não percam a inteligência. Afinal crer também é pensar.

O conselho mais recorrente das escrituras aos jovens é o da moderação, isto claro, porque se sabe que a maioria dos erros da juventude advém das paixões, das atitudes sem pensar. Ora, mas moderação não é apenas para a vida sexual como apregoam alguns, mas para a vida espiritual também. Ou seja, moderação e extravagância não combinam. Logo a verdadeira adoração, o verdadeiro espirito cristão, o verdadeiro culto é o que é prestado com amor sem descartar a reflexão, que Paulo chamou de culto racional.

Sim! Devemos cantar com força. Sim! Devemos nos emocionar. Sim! Devemos manifestar sensações, mas não, não podemos seguir o absurdo, o sem sentido, o ridículo e menos ainda o militante, bélico, raivoso. Não devemos amar com todas as forças, movimentos, manifestações, estilos, músicas, pessoas, mas o Cristo de Deus. Só Deus e não suas representações.

E só tem um jeito de não sermos enganados por nossas paixões juvenis e por líderes aproveitadores, julgar todas as coisas pelo espirito de Cristo. Ou seja, só vale a pena nos dedicar, seguir, publicar, compartilhar, defender e se envolver com o que carrega o Amor para com Todos, sem distinção alguma. O que não carregar esse princípio pode parecer bom e espiritual, mas na verdade é engano e destruição.

Rejeitem os discursos exclusivistas, rejeitem os discursos de primazia, rejeitem os discursos de separação, rejeitem os discursos preconceituosos, mesmo aqueles que vocês foram induzidos a acreditarem que por ser bíblico deve ser seguido, não é a bíblia e suas diversas interpretações que deve ser seguida, mas a Palavra de Deus encarnada nos atos de Jesus.

Rejeitem o mercado gospel, não confundam adoração com exploração das emoções para gerar grana. Rejeitem os ídolos gospel, eles só querem a fama que as multidões dão. Rejeitem os pastores e pregadores midiáticos que vivem de popularidade, não o sigam, não o republiquem, não deem atenção, nem mesmo para discordar, pois na busca por fama, adoram também os debates intermináveis.

Rejeitem a convocação para qualquer guerra que seja. Não aceitem levantar bandeiras em defesa de nada, o amor não carrega bandeiras de grupos. Não aceitem nenhuma autoridade que não se fundamente no Amor. Não participem de nenhum grupo humano que distingue, segrega e condena pessoas.

Não sejam cínicos nem mentirosos. Não desenvolvam duplas personalidades para agradar a todos. Sejam honestos com vossas sensações e experiências. Não tenham medo da condenação, o Senhor já nos livrou de tudo! Procurem ajuda de gente honesta, boa e cheia de misericórdia para lidar com vossos conflitos. Não entreguem tesouros aos porcos.

Amando a Deus de verdade, orando e pedido sua orientação e fugindo dos anticristos, vocês acharão o Caminho!

Sim! Eu sei!

E quando disserem a vocês para terem cuidado com o que escrevi, mostrando argumentos lógicos, bíblicos e teológicos, façam apenas uma coisa, julguem onde o amor está, pois onde houver amor por Todos, aí Deus está!

Ivo Fernandes

31 de julho de 2015

Um comentário:

Anônimo disse...

Cuidado!...existe muitos pregando o amor, dizendo que se há amor tudo pode! Ai é que entra o perigo, visto que muitos, de fato, nao tem distiguido as paixões com amor. Quem de fato ama, não trai, e etc....

Ídolos – da construção à necessidade de destruí-los

O termo ídolo não é um termo usado em nossa nação comumente. Aparece mais nos discursos evangélicos numa referência a qualquer entidad...