Como saber a vontade de Deus para mim?


Leitura recomendada: Rm. 12-15

Uma das maiores preocupações dos cristãos, em especial a classe carismática-renovada-pentecostal cristã é saber a vontade de Deus, e em torno dessa necessidade desenvolvem toda espécie de ansiedade além de diversos desvios teológicos, produzindo respostas para essa pergunta vindas dos próprios interesses ou de manipuladores da fé infantil.

É compreensível essa busca, afinal tomar decisões não é algo fácil. Orar pedindo a Deus orientação é algo comum aos homens de fé, o problema é quando tal oração vira surto, considerando que Deus se comportará como um ser típico das feitiçarias que nos dirá a cada vez que o buscarmos o que devemos fazer como próximo passo.

Na verdade, sobre a vontade de Deus, a questão é muito simples: A vontade de Deus é uma só: que nos amemos uns aos outros! Essa busca desenfreada para saber a vontade dele em assuntos particulares como questões profissionais e amorosas não é própria da fé cristã.

Não encontramos nas escrituras nenhuma discussão ou orientação para buscarmos a Deus para nos dizer questões tópicas. Então o que fazer diante das decisões que temos que tomar na vida? A oração: Mostra-me a tua vontade” não funciona. Em geral Deus não fala nada, e evidentemente que quem aguarda em ansiedade por essas respostas quando ela não vem se frustram e na maioria das vezes se culpam, procurando justificar, encontrando erros em si para explicar porque Deus não respondeu tal oração.

O fato é que enquanto você está orando para saber a vontade de Deus a vida está acontecendo. O que precisamos é entender que o Senhor nos capacitou para tomar decisões. Se deseja conselhos sobre essas decisões o que posso lhe dizer é o seguinte:

1.    Preste atenção nas condições que envolvem suas decisões e escolhas. Elas são favoráveis ou não? Como estão as condições externas e internas?
2.    Avalie as prioridades e valores. Sua escolha contraria valores essenciais para você? Atrapalham naquilo que é prioridade?
3.    Apresente suas escolhas em oração ao Senhor e submeta a ele tudo sempre. Sabendo que quando descansamos nele, tudo vai bem.

Lembrem-se nosso Deus não é um oráculo mágico. Não está obrigado a nos dizer nada sobre coisas particulares. Cabe a cada um de nós decidir e assumir a responsabilidade por todas as escolhas.

No mais, encontramos conselhos práticos para a vida cristã, como esse em Romanos 15: “O amor seja não fingido. Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem. Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros; não sejais vagarosos no cuidado; sede fervorosos no espírito, servindo ao Senhor; alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração; acudi aos santos nas suas necessidades, exercei a hospitalidade; abençoai aos que vos perseguem; abençoai, e não amaldiçoeis; alegrai-vos com os que se alegram; chorai com os que choram; sede unânimes entre vós; não ambicioneis coisas altivas mas acomodai-vos às humildes; não sejais sábios aos vossos olhos; a ninguém torneis mal por mal; procurai as coisas dignas, perante todos os homens. Se for possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens. Não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira de Deus, porque está escrito: Minha é a vingança, eu retribuirei, diz o Senhor. Antes, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça. Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem.”

A vontade de Deus é que vivamos em amor, dando frutos de amor e em amor. A vontade de Deus são seus mandamentos revelados. O resto é com a gente!

Ivo Fernandes

13 de agosto de 2016

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Amizades reais em tempos virtuais

A conformidade com o mundo e a banalidade do mal

Cristo nossa páscoa e esperança