terça-feira, 22 de julho de 2014

A decisão de ser discípulo


Leitura: Capítulo 14 do Evangelho de Lucas

Negar a si mesmo é uma condição necessária para ser discípulo, tomar a cruz é uma decisão necessária para se efetivar o discipulado. Lc. 14 – ênfase no 27

Ora toda decisão precisa ser pensada, não se pode tomar decisões no escuro, sem análise a fim de não sermos surpreendidos de diversas formas negativas depois. (28-33)

O que preciso então analisar antes de tomar a decisão pelo caminho do discípulo?

1.    Se estou disposto a enfrentar os sistemas deste mundo em favor da misericórdia (1-6)
2.    Se estou disposto a rejeitar os melhores lugares que me conduzem a soberba em favor da humildade (7 – 11)
3.    Se estou disposto a servir sem ser servido, a doar sem receber em troca (12-14)
4.    Se estou disposto a colocar todos os meus interesses em segundo plano em favor do Reino (15-27)

Ora e porque precisamos disso? Porque a decisão de ser discípulo envolve tornar-se fonte de vida entre a morte, de luz em meio as trevas. E se não formos sérios nesta caminhada seremos como sal sem sabor que para nada serve (34). Teria sido melhor não termos iniciado o processo que os danos seriam bem menores. (34)

Quem tem ouvidos que ouça! (34)

Ivo Fernandes

20 de julho de 2014

terça-feira, 8 de julho de 2014

Sobre o negar-se a si mesmo



Leitura: Mt 16

O caminho para o indivíduo se tornar quem ele é em Deus é preciso abrir mão de tudo que ele pensa que é sem Deus. É preciso matar o “si mesmo” para sobrar eu.

Jesus disse que aquele que desejar ser Seu discípulo, deve negar a si mesmo. O “si mesmo” ao qual Jesus se refere não é o eu puro ou a consciência de si; é o eu fetichizado; o eu iludido que para Jesus faz guerra contra o eu puro e vivente em espírito e em verdade. O “si mesmo” é o culto do eu adoecido ao que lhe seja razão imediata.

Seguindo a leitura do texto podemos identificar os discípulos do “si mesmo”:

Os discípulos do “si mesmo” vivem correndo atrás de sinais que nega a fé, com a intenção de saciar suas vaidades e tolices. (Mt 16.1-4)

Os discípulos de si mesmo procuram interpretar a mensagem de Jesus segundo seus critérios lógicos para não ter que fazer implicações da mensagem de Jesus na vida. (Mt 16. 5-12)

Os discípulos de si mesmo transitam facilmente da confissão para a negação quando seus interesses são postos em jogo. (Mt 16. 13-23)

Assim, somente quando renunciamos a si mesmo, tomando a cruz, que é a condenação do mundo em nós, é que podemos seguir Jesus. Quem ama a sua vida, sua lógica própria, seus fundamentos, suas ideologias e quiser salvá-la perde o Evangelho, mas quem pelo Evangelho perde sua vida “si mesmo” encontra sua verdadeira vida. Quem busca salvar a si mesmo tentando conquistar o mundo perde a alma, e nada mundo tem o poder de reavê-la. (Mt 16:24-28)

Que sejamos discípulos de Jesus de Nazaré!

Ivo Fernandes

02 de julho de 14

O papel das emoções no desenvolvimento do câncer

O tema proposto ainda é motivo de discussões entre especialistas, apesar da crescente admissão da relação entre as emoções e as doença...