quarta-feira, 14 de novembro de 2007

O sentido da Criação


Todas as vezes que estou a refletir sobre o universo criado penso no seu sentido de ser. O que Deus quis quando criou todas as coisas? Qual a razão de ser da criatura? Para que existimos? Qual o propósito e finalidade de nossa existência?

Recuso-me a unir-me com aqueles que não encontram propósito na criação. Deus como ser perfeito não poderia ter criado algo para o nada, nem a criação poderia ser fruto da ‘ociosidade’ divina. Na verdade a criação é fruto do desejo de Deus (Apc 4.11). E qual foi esse desejo? Deus desejou a criação para Si. Deus desejou o homem para ser e estar ao seu lado (Gn 1.27). Esse desejo não é fruto de uma necessidade de Deus, é fruto do Seu Desígnio, de Sua Graça.

Deus quis o homem e o fez, esse querer é o que as escrituras chamam de amor. Deus ama sua criação desde a eternidade e nela demonstra seu eterno poder e glória. Por causa disso é que se está dito que o Cordeiro foi imolado antes da fundação do mundo (Ef 1.4; 1 Pe 1.20; Apc 13.8). É por causa disso que o homem recebeu o dom da liberdade de ser em Deus. Ora, é por isso que dizemos que a criação é fruto da redenção, é ato de Graça.

Deus ama o homem e o fez para Si e por esta razão preserva sua criação. É nesse amor que o homem se encontra e só nele percebe seu sentido. Fora deste amor a vida fica sem sentido, mesmo que a criatura busque sentido em outro lugar ou em si mesma não encontrará. É Deus o sentido de ser do homem.

A história humana está se desenrolando dentro desse mistério. O começo dela se deu na doação do Cordeiro de si mesmo. Sem a Cruz eterna não haveria história. A Cruz revela que o Amor é a razão da história. E esse Deus que criou e que preserva também providência todas as coisas para que sua criação alcance o propósito para qual foi criada.

Por isso creio na reconciliação de todas as coisas Nele (Ef 1.10; Fp 2.10; Cl 1.16,20; Apc 5.13). Deus me criou para Si e me conduz ao Seu encontro. Deus criou todas as coisas para Si e as conduz a Si mesmo.

Ivo Fernandes

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Jesus - O Deus Eterno


Uma das coisas que mais me impressiona nos escritos e nas afirmações daqueles que negam a divindade de Jesus Cristo apontando ele apenas como um bom mestre de moral, um ser evoluído, um espírito poderoso, etc. é o fato de suas fontes de pesquisa ser o Evangelho (Mateus, Marcos, Lucas e João).

Sabemos que esses livros são os que possuem a maior credibilidade quando falamos de Cristo, portanto, qualquer afirmação a Seu respeito necessita ser avaliada a partir das afirmações contidas nestes livros. Não proceder assim é no mínimo e na melhor das hipóteses extremamente ingênuo do ponto de vista da pesquisa histórica.

Inegavelmente os evangelhos afirmam que Jesus de Nazaré afirmava ser Deus. Ora o que se pode fazer com isso é negar ou aceitar, mas não se pode dar outro sentido, pois não é inteligente dizer que o que o texto está dizendo não está dizendo. E não somente estes evangelhos falam a esse respeito, mas todo o NT aponta para isso. A fé da comunidade primitiva, chamada os do Caminho, acreditava na divindade de Jesus.

Vejamos o que Jesus disse sobre si mesmo:

Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou. João 8:58 (este “ eu sou” refere-se a YHWH, o nome sagrado de Deus para os judeus)

Por isso vos disse que morrereis em vossos pecados, porque se não crerdes que eu sou, morrereis em vossos pecados. João 8:24(note que aqui não somente sua identidade está revelada como também o fato de que o destino eterno do ser depende dele crer nisso)

Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, o que nos basta. Disse-lhe Jesus: Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai? João 14.8,9

Além destas inúmeras vezes Cristo fez afirmações que o igualam a Deus:

Mc 14.61-64
Mas ele calou-se, e nada respondeu. O sumo sacerdote lhe tornou a perguntar, e disse-lhe: És tu o Cristo, Filho do Deus Bendito? E Jesus disse-lhe: Eu o sou, e vereis o Filho do homem assentado à direita do poder de Deus, e vindo sobre as nuvens do céu. E o sumo sacerdote, rasgando as suas vestes, disse: Para que necessitamos de mais testemunhas? Vós ouvistes a blasfêmia; que vos parece? E todos o consideraram culpado de morte.

E Jesus lhes disse: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede. João 6:35


Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida. João 8:12

E dizia-lhes: Vós sois de baixo, eu sou de cima; vós sois deste mundo, eu não sou deste mundo. João 8:23

Tornou, pois, Jesus a dizer-lhes: Em verdade, em verdade vos digo que eu sou a porta das ovelhas. João 10:7

Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens. João 10:9

Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; João 11:25

Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou. João 13:13

Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. João 14:6

Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece. João 3:36

Além das afirmações do próprio Cristo temos o testemunho de Maria que ouviu do anjo a identidade Daquele que nasceria.

Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco. Mateus 1:23

Ora, isso junta-se a seguinte profecia de Isaías 7.14 e 9.6:

Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel.

Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.

Fora isso ainda temos os inúmeros relatos de adoração dos homens a Jesus as quais a todas recebe, entre elas temos a de Tomé:

E Tomé respondeu, e disse-lhe: Senhor meu, e Deus meu! João 20:28

Temos o testemunho de João:

NO princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. João 1:1

Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só quebrantava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus. João 5:18

O testemunho de Paulo

Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue. Atos dos Apóstolos 20:28

Porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade; Colossenses 2:9

Aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso

Salvador Jesus Cristo; Tito 2:13

O testemunho de Pedro

SIMÃO Pedro, servo e apóstolo de Jesus Cristo, aos que conosco alcançaram fé igualmente preciosa pela justiça do nosso Deus e Salvador Jesus Cristo: 2 Pedro 1:1

Os textos revelam também que Cristo possuía os atributos que só Deus possui:

João 5. 21-29
Pois, assim como o Pai ressuscita os mortos, e os vivifica, assim também o Filho vivifica aqueles que quer.E também o Pai a ninguém julga, mas deu ao Filho todo o juízo;Para que todos honrem o Filho, como honram o Pai. Quem não honra o Filho, não honra o Pai que o enviou.Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida.Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão.Porque, como o Pai tem a vida em si mesmo, assim deu também ao Filho ter a vida em si mesmo;E deu-lhe o poder de exercer o juízo, porque é o Filho do homem.
Não vos maravilheis disto; porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz.E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal para a ressurreição da condenação.


Mc 2.1-13
E ALGUNS dias depois entrou outra vez em Cafarnaum, e soube-se que estava em casa.
E logo se ajuntaram tantos, que nem ainda nos lugares junto à porta cabiam; e anunciava-lhes a palavra.E vieram ter com ele conduzindo um paralítico, trazido por quatro.E, não podendo aproximar-se dele, por causa da multidão, descobriram o telhado onde estava, e, fazendo um buraco, baixaram o leito em que jazia o paralítico.E Jesus, vendo a fé deles, disse ao paralítico: Filho, perdoados estão os teus pecados.E estavam ali assentados alguns dos escribas, que arrazoavam em seus corações, dizendo:Por que diz este assim blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão Deus?E Jesus, conhecendo logo em seu espírito que assim arrazoavam entre si, lhes disse: Por que arrazoais sobre estas coisas em vossos corações?Qual é mais fácil? dizer ao paralítico: Estão perdoados os teus pecados; ou dizer-lhe: Levanta-te, e toma o teu leito, e anda?
Ora, para que saibais que o Filho do homem tem na terra poder para perdoar pecados (disse ao paralítico),A ti te digo: Levanta-te, toma o teu leito, e vai para tua casa.E levantou-se e, tomando logo o leito, saiu em presença de todos, de sorte que todos se admiraram e glorificaram a Deus, dizendo: Nunca tal vimos.


Além destes temos outros que falam da onipresença, onisciência, onipotência, eternidade e imutabilidade de Cristo (Mateus 18.20;20.28;11.27;28.18;Lc 5.4-6; João 2.25;16.30;21.27; 10.18; 1,15,30; 3.13,31,32; 662;16.28;17.5;8.58; Hb 13.8)

Com tantas evidências é tolo pensar em Cristo apenas como um anjo, pois se assim o fosse não seria um anjo, mas um demônio visto que foi Satanás que quis ser o que não era.

A divindade de Cristo está provada também pelas profecias cumpridas, por seus atos poderosos, por seus milagres e por sua ressurreição.

O que podemos dizer a quem ainda insiste em dizer que Cristo não era Deus, reduzindo Ele a uma categoria de melhor dos homens, grande espírito, profeta, mestre da moral, espírito iluminado? Nada é mais tolo que essas afirmações.

Se Jesus não for o que Ele disse ser, ele não poderá carregar nenhum desses títulos acima citados. Se Ele não fosse Deus só restaria para Ele o título de mentiroso, maligno, ou na melhor das hipóteses louco, pois só um louco diz ser Deus sem ser.

O que vejo quando leio os evangelhos é que Cristo só nos deixou duas opções: Uma de render-se a Ele crendo em tudo que Ele disse ser ou rejeitá-lo cuspindo nele, o difamando, o rejeitando.

Hoje é dia de decisão. Qual será a sua?

Ivo Fernandes

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

O meu do Eu

Sou um Eu
No meu Eu há o que é meu
E no meu Eu nem tudo que é meu sou Eu

Há caminhos para o meu Eu
Eu sendo só o que é meu
Eu deixando o que é meu mas que não é do Eu
Eu ignorado o que é meu
Eu vivendo no Eu e no meu
Eu sendo Eu

Todos os caminhos do Eu lutam com o meu
Assim quando me vi Eu vi também o que era meu
Mas o meu não era o que era Eu
E assim morri no Eu e vivi o meu
Mas ressuscitado fui ao Eu
E agora o Eu vive não para viver pro meu mas para aquele que o ressuscitou

Como vencer o meu no Eu?
Crendo que o que sou Eu não é o que meu
E portanto deixando o que é meu para viver o que sou Eu

Eu sou que sou
Eu não sou o que é meu
E tudo que é meu deixo para ser Eu

Ivo Fernandes
(Depois da leitura do texto “Esmurro o meu corpo” de Caio Fábio)
Em 08 de novembro de 2007

Casamento

Uma das queixas mais comuns que atendo na clínica terapêutica diz respeito aos casamentos. De tanta reclamação até parece ser verdade ...