terça-feira, 14 de julho de 2009

Deixei de ser evangélico


Há algumas semanas atrás alguém me falou que concordava com tudo que eu ensinava mais não gostava de eu não mais me denominar evangélico. Chegou a dizer que isso era uma mania do Caio seguida pelos seus discípulos. Lamentei por ver que alguém tão próximo nada sabe a meu respeito.

A verdade é que nem gostaria de estar mais escrevendo um texto sobre isso. Espero que em breve seja eu esquecido entre estes que insistem nos rótulos. Não deixei de ser evangélico de um momento pro outro. Meus diários são as provas desse meu caminho que há muito vinha trilhando em silêncio.

Não sou mais evangélico porque já não suporto ouvir as mensagens dos pregadores que representam este movimento. Nem abro mais os emails que me enviam com vídeos e notícias dos mesmos. De fato não quero mais saber.

Mas o fato de não ser mais pertencente a este movimento não é a negação do meu passado, e nem a afirmação de que Deus não é Senhor destes. Pelo contrário, continuo amando a minha história. Continuo lembrando com saudades dos tempos da minha infância e da igreja de bancos feitos de tronco de árvores. Lembro das lágrimas derramadas em consagrações pela manhã, dos louvores que até hoje canto, da oração sincera dos irmãos.

Porém hoje, e já não acredito que isso vá mudar, tudo é um grande mercado. Meu Deus! as músicas são pobres e muitas vezes atentam contra o espírito do Evangelho. Não suporto mais hinos de guerra ou de vitória certa.

Não consigo mais conviver com os “moralistas”, com os “fundamentalistas” que manipulam a vida das pessoas por meio do que eles chamam de sã doutrina. Não suporto mais ver almas sendo condenadas ao fogo do inferno por estes que praticam coisas bem piores do que aquilo pelo qual eles estão condenando as pessoas.

Deixar de ser evangélico não é negar a fé, antes é afirmá-la. Eu Creio no Deus de Amor revelado no Filho e na Salvação dos homens realizada Nele. Eu Creio no poder do Espírito Santo que distribui dons a fim que Sua Igreja seja edificada. Eu Creio na Ressurreição e na Vida Eterna.

Mas eu não creio na certeza dos homens. Não faço da minha teologia a minha fé. Não acredito na condenação por causa da informação. Não creio que a salvação depende da informação. E sei que toda interpretação é relativa. Não creio na doutrina fundamentalista da inerrância das Escrituras. Não confundo Deus com textos.

Não posso mais viver tentando encaixar Deus nos meus moldes. Deus é livre. Já não consigo conviver com nada que não respeite essa liberdade de Deus. Também já não quero ouvir o deus-explicação. Quero andar por fé.

Deixei de ser evangélico por que quero andar com esse Deus que é livre. Quero me deliciar com a Palavra esteja ela na bíblia ou nas músicas do Raul Seixas. Deixei de ser evangélico por que o deus muitas vezes apresentado não me encanta e na verdade nem me assusta. Não amo o deus que se parece com o pior da natureza humana.

Sigo feliz pelo Caminho. A cada dia é uma descoberta e a cada dia descubro que ainda não descobri nada. A cada dia é um mistério. A cada dia entendo mais que Deus está bem mais próximo do que podia imaginar. Ele está nos livros que leio, nas piadas que me fazem rir, nas músicas que me tocam, na oração silenciosa, e principalmente no próximo com quem me relaciono.

Deixei de ser evangélico, mas não deixei o Evangelho. E qual minha religião hoje? Caminho da Graça? Não! O Caminho da Graça é apenas um nome para minha caminhada individual e coletiva. Não é minha igreja, não é meu clube, não é minha religião. Jamais prenderei a minha alma. Hoje ela segue o Vento. E a fé que tenho, tenho para mim mesmo, mas se você quiser no Caminho eu conto.

Ivo Fernandes
14 de julho de 2009

15 comentários:

donnanina disse...

Bem vindo a Vida, Ivo! Tb deixei de ser evangélica...
Ao terminar de ler o seu texto, pensei: " ok, eu escrevi isso e não to sabendo?" rsrsrsrsrs
É, vamos caminhar e ser próximos daqueles que estão e passarão na nossa vida!
Beijos e t+!

INES KAYASHIMA BUSTAMANTE disse...

Querido mano ! Lindo o texto ! Foi maravilhoso ler e saber que no caminho encontramos com pessoas e vivências tão parecidas . Postei o texto no meu blog e desejo que muitos possam sentir o Espírito Santo falando ao coração .

Com carinho

Desde a terrinha do 'Sol Nascente'

Carol Leite disse...

Ivo, seu texto é esclarecedor, bonito e leve. Amei.
Sinto/sou, como você, quando dizes: "E sei que toda interpretação é relativa. Não creio na doutrina fundamentalista da inerrância das Escrituras. Não confundo Deus com textos."
E sou grata/feliz por um dia eu ter compreendido isso.
É isso amigo, somos hereges do mundo, mas e que diferença isso faz para Deus, não é mesmo? Ele não vê como o homem vê e isso explica tudo.

Ivo Fernandes disse...

Carol, fico feliz por todo seu caminho percorrido!

Saudades de vcs

Abraços

Família Emidio disse...

Shalom, amado Ivo - sua história não difere muito dos da nosso geração que nasceu em uma denominação. Não escreveria tão bem, como não escrevo! Mas olho e vejo a mim em sua historia, palavras, assim tomarei emprestado sua escrita, com algumas colocação da minha existência, visto que a história é a mesma . nEle que tem convergido tudo . Cláudio Teresina-PI

jaquécia disse...

Ivo sou aluna do S.T.P.C comecei faz alguns meses, mas ja ouvi muitas coisas boas sobre vc.
Só lamento de não ter tido aula com vc.
Li seu blog e vi q vc ta certo mesmo, o povo hoje pensa mais em religião do q no proprio dono da Vida q é Jesus Cristo. Qria te pedir algo: quando eu tiver duvida d algum assunto no seminario eu posso pedir sua ajuda?

Ivo Fernandes disse...

Jaquécia,

Obrigado pelas palavras e fique a vontade quanto as perguntas,

Abraços

Foozie disse...

Interessante sua posição acho que já foi até a minha... sou só eu mesmo, um Só! e muitos, pra mim não sou nada, pros católicos sou "crente" pros "crentes" Herege e assim cada um me dá o nome que melhor consegue me definir... então eu desisti de desistir de ser qualquer coisa e agora sou "qualquer coisa" mesmo :D... porque tudo depende do ponto de vista e das experiências exernas do observador... inclusive nossas posições a respeito disso... hehehe. pra terminar já que escrevi muito e num falei NADA: "o vendo sopra e ninguem sabe de onde vem e nem pra onde vai..." hahaha... Graça e paz e Salamaleico meu irmão.

Rayner disse...

Ivo suas palavras são profundas e me fizeram meditar bastante!Vou buscar sempre esse novo olhar crítico das coisas,não para simplismente criticar, mas para ver e entender o teor de verdade nelas contidas. Continue com suas refexões, elas ajudaram a muitos como a mim!

Cíntia disse...

Como é maravilhosa essa sensação de liberdade de escolhas e para entender Deus a minha maneira. Não preciso de um formato, uma formula mágica, ou regras feitas por homens. Descobri que independente da forma como eu O entendo, NADA poderá me afastar Dele. Minha maior descoberta, depois do Cristo, foi ter a certeza de que eu não vou arder no fogo do inferno (rsrsrs) por causa das minhas obras. Afinal de contas, a salvação não é por obras pra que ninguém se glorie. Não é mesmo professor Ivo? Então, eu também não sou mais evangélica. Eu sou um bebê na fé, mas já entendi que o amor de Deus é muito maior dos os meus pecados e me sinto cada dia mais apaixonada e mais intima de Jesus. Era isso que Ele falava sobre liberdade. Entendi. E isso é bom demais pra ser verdade... Obrigada Deus por mais essa surpresa!

Deus te abençoe Ivo! Amei o texto...

Paulo Renato disse...

Saudações meu caro Ivo,
A algum tempo venho acompanhando seus textos e lendo suas reflexões, e fico feliz de saber que não estou só, conhecí você através de uns irmãos/amigos na fé, que por sinal tiveram um encontro frutifero com você domingo aqui em fortaleza, gostaria de ter estado lá mas não foi possível, não tenho suportado mais viver no meio da religião, pois a religião mesmo não pode conter o sentimento e a realidade da liberadade que tenho em Cristo, e desejo de forma sincera compartilhar desse caminho que é de graça pois é Graça. Abraço.

nelson disse...

Escrevi contra esta postagem no meu blog. Caso queira ver: http://emdefesadagraca.blogspot.com/ . Fico feliz que não seja mais evangélico. Acredito que dentro da igreja você seria mais pernicioso que fora dela. Se um dia você se converter de verdade e deixar pra trás este trapo de anti-intelectualismo travestido de academicismo, terei prazer maior ainda em chamar-lhe irmão, mas por hora, repense seu caminho. Aquele de Despreza a Escritura e tem um baixo conceito acerca dela, Despreza o próprio Deus e o rebaixa também, pois Ele é o próprio doador da Escritura. Fico triste por ver tantos mortos espirituais se deleitarem nesta torpe postagem.

Ivo Fernandes disse...

Meu caro Nelson, porque você perde tanto tempo vindo aqui nesse espaço? Tá querendo publicidade?Pois converter alguém as suas idéias creio ser bem difícil por esse caminho. No mais não perca seu tempo, pois do seu espírito nada tenho e dele nada há de se aprender.

Abraços

nelson disse...

De fato sr. Ivo, de tudo o que se poderia dizer, escolheste as palavras mais acertadas. Realmente não temos o mesmo Espírito. O Espírito que habita em mim é Aquele mencionado por João, que convence o homem "do pecado, da justiça e do juízo" (Jo 16.8). Este Espírito me convenceu e por isso tornei-me evangélico (apesar de concordar com vc no que se refere ao desgaste que este termo tem sofrido), mas a Escritura também fala acerca de um espírito que "agora opera nos filhos de desobediência"... Estás certíssimo em afirmar que é perda de tempo. Sim, é perda de tempo argumentar com alguém que não é ensinável, principalmente acerca da Palavra de Deus, já que nem ao menos crê que a Bíblia seja a Palavra de Deus. Um texto bíblico do qual me recordo agora é: "Ora, se teu irmão pecar, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, terás ganho teu irmão; mas se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda palavra seja confirmada.Se recusar ouvi-los, dize-o à igreja; e, se também recusar ouvir a igreja, considera-o como gentio e publicano" (Mt 18.15-17). Tal texto é impossível de ser posto em prática no que diz respeito a vc, porque desprezas qualquer tipo de repreensão ou disciplina. Na verdade, nem ao menos podemos levar o caso a igreja, já que vc não participa de nenhuma. Só me resta seguir o conselho de Jesus: "considera-o como gentio e publicano" (Mt 18.17). É Ivo, não existe motivos para se continuar evangélico, quando não se crê no Evangelho.

Ivo Fernandes disse...

Assim, Nelson, espero que de maneira inteligente não se gaste tanto, e siga em paz, se possível a estrada que tomaste. De minha parte espero que a Misericórdia Daquele que É nos alcance e nos livre de todo nosso engano que chamamos de verdade,

Ídolos – da construção à necessidade de destruí-los

O termo ídolo não é um termo usado em nossa nação comumente. Aparece mais nos discursos evangélicos numa referência a qualquer entidad...