quinta-feira, 15 de abril de 2010

A cruz


Em várias partes do mundo a cruz é um símbolo que representa a união dos opostos, sendo um dos símbolos humanos mais antigos e é usado por diversas religiões. No cristianismo a cruz se tornou seu principal símbolo. Muitos cristãos primitivos mandavam gravar em seu corpo uma tatuagem da cruz, e em diversos ritos o símbolo da cruz é ministrado.

Teologicamente a cruz é interpretada de diversas formas, porém acredito que nenhuma delas é mais plena de significados universais que sendo vista como símbolo da unidade revelada em Cristo, onde todas as contradições e opostos de nossa existência são unificadas.

Na cruz a Vida encontrou a morte, o céu encontrou a terra, Deus encontrou o homem. Na união desses opostos está revelado a unificação dos opostos que encontramos dentro de nós. É o fim do si-mesmo e o nascimento do Eu-Tu-Nele.

Carregar a cruz é primeiro aceitar nossas contradições. Toda negação de nossa natureza corresponde a negação da cruz e vice-versa. Depois de aceito nos entregamos ao Deus Incompreensível, tal como Cristo que depois que sente o abandono de Deus entrega seu espiríto ao Pai. Só quando aceitamos nossa natureza contraditória e confiamos no mistério do amor de Deus é que somos salvos.

Compreendendo tudo isso partimos para a unidade entre os povos com suas culturas, religiões, classes sociais, pois na mesma cruz onde nos tornamos unidade, Deus fez de muitos povos um só, destruindo toda inimizade e os muros de separação.

Ivo Fernandes
15 de abril de 2010

Um comentário:

Eliane Alves disse...

Parabéns pelo blog! Deus continue te abençoando.

Ídolos – da construção à necessidade de destruí-los

O termo ídolo não é um termo usado em nossa nação comumente. Aparece mais nos discursos evangélicos numa referência a qualquer entidad...