segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Creio - Deus

Deus. Quem é Deus? O que é Deus? Quem já o viu? Onde ele está? O que está fazendo?

Eu creio em Deus. Mas o que isso significa? Não sei, ou melhor, sei sem saber, pois o que sei em mim é pacificado mesmo que não saiba explicar a outros.

Eu creio em Deus, nome que para mim significa o Ser que é mais do que qualquer especulação, doutrina ou conceito sobre Ele mesmo.

Deus é o que É. E por ser o único que de fato É, só o Espírito conhece as profundezas de Deus, visto que tudo mais só o é em razão Daquele que É.

Como teólogo, pesquiso a única coisa que de fato é possível pesquisar e ainda com temor e tremor – o pensamento humano a respeito de Deus, o sentimento do homem em relação ao que lhe transcende, as experiências históricas da fé. Sei que Deus não pode ser mapeado, não pode ser perscrutado, Ele habita em luz inacessível, só Ele tem a imortalidade, e nenhum homem nunca o viu e nem pode ver.

O deus estudado é na verdade o deus forjado pelo homem, e uma vez estudado muito saberemos do ser que o forjou.

Deus é o Ser Outro que só se dá a conhecer por Sua auto-revelação, mas que misteriosamente está em tudo mesmo que nada O tenha, e tudo está Nele, pois fora Dele nada há.

De fato a razão humana limitada pelo espaço não pode compreender, só a Fé pode vislumbrar o que os olhos não vêem.

Como então posso crer num deus que criou todas as coisas por uma espécie de necessidade de companhia? Como posso crer num deus que não conseguindo a plena simpatia de suas criaturas as castiga com tormentos infinitos? Que espécie de deus é esse que trava uma batalha de amor e ódio com suas próprias criaturas?

Como posso crer num deus que o critério de sua escolha é algum capricho divino? Ou mesmo uma confissão religiosa? Num deus com estrema dificuldade em lidar com as pulsões sexuais humanas que ele mesmo criou?

Como posso crer num deus que cabe apenas dentro de certas doutrinas de certos grupos religiosos do mundo? Como posso crer num deus que tem poder para criar, mas é limitado quanto a salvar sua criação?

Como posso crer num deus que odeia tanto, a ponto de se satisfazer com a condenação de milhares que não fizeram certa confissão religiosa? Como posso crer num deus que só abençoa os homens mediante negociatas? Como posso crer num deus que se parece com a pior versão da humanidade.

Eu creio em Deus, creio que Ele É para além de toda essência e existência, portanto não fico mais atrás de “provas” a Seu respeito.

Toda minha linguagem a respeito Dele é apenas poética, pois de fato Deus não pode ser referível. Deus pode apenas ser crido, pois nem mesmo negado pode ser, pois como se nega o que não se sabe. Só a Fé pode existir para além de todo saber.

Por isso não me inquieto com os que negam deus, o deus negado por muitos eu também negaria. Não entro em nenhuma guerra apologética. O Deus que É não precisa de defensores, de advogados e nem de representantes.

O que então posso saber de Deus? Aquilo que Ele de Si revelou na História, na Humanidade, na Criação e de maneira singular na Palavra Encarnada. Sim! Em Jesus, que condensa a Criação, a Humanidade e a Palavra, porque Nele está a Reconciliação Universal, vemos o que Deus decidiu manifestar. E Nele vejo um Deus que pode ser referido por meio de uma só palavra – Amor.

Eu creio que Deus é Amor e Nele não há treva alguma. É por causa do Amor que creio que o Deus que É se “fez” para o homem e o homem para Si, e conduzirá todas as coisas para Si mesmo, quando Ele será tudo em todos de maneira manifesta.

“Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele.” 1 Jo 4.16

Ivo Fernandes
16 de novembro de 2009

4 comentários:

Gresder Sil disse...

Criaram sim um deus pequeno demais para um universo grande demais, pois a vida e existência são muito profundas par ter um deus muito raso e superficial que condena ou salva, abençoa ou amaldiçoa.

Deus só pode ser dito pelo que Ele não é, e Ele não é quase tudo o que se diz Dele.

Adriana disse...

Mano,

Quero postar este texto no meu blog.
Posso?

abs

Ivo Fernandes disse...

Claro mana, fique a vontade

Abraços

Wilson disse...

Caro Ivo, a revelação está em suas palavras. Creio porque Ele é "Tudo e Nada". Quando busco encontrá-Lo nas Escrituras, deparo-me com as doutrinas. Quando busco encontrá-Lo em mim, deparo-me com minhas limitações. Quando busco encontrá-Lo em voce, deparo-me com sua presunção de defini-Lo. Poeticamente desgasto-me em encontrá-Lo, nas definições das palavras. Mas a subjetividade de Deus me permite encontrá-Lo em Jesus, homem-Deus, perfeito e acessível. Descomplicado e revelador de seus mistérios, aos que haviam se separado.
Agora todo universo com muito desejo e esperança, aguarda o momento que os filhos de Deus serão revelados. Fazendo o próprio universo tornar-se inútil, porque Deus assim o quis. E a esperança é essa que o universo irá provar sua plena libertação, e tomará parte da gloriosa liberdade dos filhos de Deus. Jesus O Nosso Redentor, revelação da existência de Deus em nós.
Somos do Senhor

A justificação pela fé – uma exposição no Caminho

Leitura:  Romanos capítulos 1 a 3 A doutrina da justificação pela fé é um dos principais pilares da fé cristã, em especial a prote...