segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Os dois caminhos


Leitura recomendada: Mt 7. 13.29

Dois caminhos, talvez o termo mais conhecido entre os cristãos. Desde a meninice que somos apresentados os caminhos da perdição e da salvação, do céu e do inferno, do bem e do mal. O problema é que a maneira com que a religião cristã em sua versão ortodoxa fundamentalista nos apresenta esse tema não correspondem ao ensino simples e profundo de Jesus.

Em geral o ensino religioso cristão ainda está atrelado a contrapor vida católica-evangélica, tida como vida santa, o caminho certo, e a vida mundana (ou a não religiosa) vista como o caminho errado. Assim quem segue a cultura da igreja seguirá para o céu, porém quem segue a cultura de fora da igreja irá para o inferno. E a coisa no decorrer dos anos só piorou pois a cultura da igreja ficou cada vez mais pobre e a do mundo cada vez mais atraente. Assim o passaporte para o céu era a estar condenado a uma vida sem graça, sem prazer, sem alegria. E o inferno passou a ser sedutor por reunir tudo de bom que poderíamos desejar, fazendo com que boa parte dos jovens começassem a reproduzir a frase: prefiro o inferno, lá estarão meus amigos.

Mas apesar da perversão do ensino que a religião fez do tema dos dois caminhos, ele é um tema do Evangelho. Jesus anunciou dois caminhos, um que começa por uma porta estreita e que conduz a salvação e outro que começa com a porta larga e nos conduz a perdição.

O tema dos caminhos está atrelado a denúncia dos falsos profetas, esses tais são os que apregoam um caminho largo, fácil, mas engana-se que atrelado a prazeres normais da vida, a facilidade desse falso caminho não se refere a uma vida feliz mas ao anúncio de fórmulas fáceis e infalíveis para uma vida bem-sucedida, em troca basta a submissão dos adeptos ao controle de tais profetas. O caminho largo é o caminho da barganha com Deus incentivado por líderes carismáticos mas sem caráter, líderes que exploram as emoções e a economia do povo. É um caminho onde a obediência a Deus é trocada pela obediência aos falsos profetas e suas formulas mágicas.

Ao contrário, o caminho da salvação começa com a Porta é estreita mas leva para o caminho do amor. E por que é estreita? Porque não há nada que os nossos instintos mais aborreçam do que o amor. Sim! O amor tudo sofre. E quem gosta de ser abusado? Tudo Suporta. E Quem aceita ser provocado? Tudo perdoa. E quem está disposto a perdoar sempre? O Caminho é Estreito porque tudo se concentra numa só coisa: amar.

Não cabem nesse caminho justiça própria, orgulho, desejos de poder, juízos ou qualquer mal contra quem quer que seja.

O caminho estreito é o caminho da cruz; é o caminho dos que choram; é o caminho dos buscam a justiça; é o caminho da bondade; e entrar pela porta estreita requer empenho, esforço, enquanto que o caminho largo é o caminho da prosperidade fácil; o caminho da ilusão; o caminho da mentira.

Quem prefere a dureza da realidade a tranquilidade de uma ilusão? Quem prefere o Evangelho aos mestres da auto-ajuda? Quem prefere a fé as crendices?

O caminho de Cristo é da porta estreita e o Caminho do anticristo é largo.

Escolha hoje que caminho seguirá.

Ivo Fernandes

25 de setembro de 16

Nenhum comentário:

O papel das emoções no desenvolvimento do câncer

O tema proposto ainda é motivo de discussões entre especialistas, apesar da crescente admissão da relação entre as emoções e as doença...