Ele venceu o mundo




Leitura: João 12

Conforme ensinei e está registrado no texto “A conformidade com o mundo e a banalidade do mal”, o mundo é um espírito, uma força, que se faz sistema e precisa ser vencido para que a própria vida siga seu curso livre, porém vencê-lo se tornou a maior dificuldade dos homens pois o mundo maculou o homem de maneira profunda, de maneira que nosso desejo está atrelado a ele, tornado cobiça e concupiscência.

O mundo é nossa maior tentação, nossa maior fraqueza, nosso maior pecado, nossa maior batalha.

Jesus como homem não escapou a essa tentação, sua vida foi uma luta contra o mundo e temos por fim de sua história o fato de que ele venceu o mundo.

Em vários momentos o Evangelho mostra Jesus lutando e vencendo o mundo. Quando tentando a saciar sua fome por meio da vaidade; quando tentado a mostrar seu poder; quando tentando a ter os reinos do mundo por meio da adoração a criatura em vez do criador; quando quiseram fazer dele rei; quando a angústia da morte lhe tomou. Agora um momento em especial me chama atenção – quando ele venceu o mundo, ao escolher a vida de todas em vez da sua.

No texto indicado, lemos depois da ressurreição de Lázaro os fariseus tramaram para matar Jesus, pois com aquele acontecimento muitos o seguiam.  Disseram entre si: "Vejam o proveito que nos dá a vida deste homem! Sim, de nada ele nos aproveita, visto que o mundo inteiro vai após ele!" Nesse momento o texto nos informa que gregos buscavam falar com Jesus, sim gregos, os seres humanos mais refinados da terra.

Os gregos eram o “mundo” que dava cultura até mesmo aos dominadores da terra, os Romanos. Jesus ouviu a notícia. Dizem que era uma proposta para que Ele se mudasse para Edessa, na Grécia Cultural; pois lá as mentes eram abertas, e Ele teria a chance de espalhar a Sua mensagem por toda a terra; sem as hostilidades e invejas que sofria entre os judeus religiosos.

Assim, o que temos? De um lado a morte orquestrada pelos fariseus e do outro o caminho para a Glória dos Homens, a fama. Creio estar aqui uma das maiores tentações, abandonar quem nos rejeitar e viver entre os que nos desejam. Em termos espirituais seria a vitória definitiva do Tempo sobre a Eternidade; Do mundo contra a Vida.

Trocar a eternidade pelo tempo, eis a tentação do mundo. Tentação que está ligada a nossa “pulsão essencial-instintual” de sobrevivência. Em termos práticos era a Cruz ou o Mundo! E na cruz ele venceu o mundo e seus derivados o tempo, a lógica, a razão, a glória humana.

A resposta de Jesus nos revela a escolha que ele fez "É chegada a hora de ser glorificado o Filho do homem." A Glória do Filho do Homem era dizer Não à glória do mundo, por obediência ao Pai que amava a humanidade.
Vencer o mundo, então é conforme Jesus, é não aceitar o curso deste mundo como lógico. Significa manter a mente em estado de inconformação para com a tirania estabelecida como lei e ordem. Significa discernir que há um espírito de engano e escravidão nos dizendo que vida é aquilo que Deus chama morte.
Significa que para vencermos, tal como Jesus temos que dá razão somente a Deus. Crer nele e ficar quieto. Não adianta discutir com a tentação. Ela vencerá! Quanto mais com ela se dialoga, mais poderosa e argumentativa ela se torna.
Sim, pois as lógicas da tentação são irrebatíveis. Por isto, e não por outra razão, Jesus apenas a rebatia dizendo “Está escrito”; posto que de outro modo seria vencido pelos argumentos intrínsecos do desejo, da carência ou do poder como capricho onipotente.
O que se descobre é que se cremos na Palavra e em seu galardão de vida, e se nos calamos, e se não debatemos contra a tentação... — ela começa a secar!

Ele venceu o mundo e Nele nós também venceremos!

Ivo Fernandes
10 de agosto de 2016
O texto em itálico é de Caio Fábio

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Amizades reais em tempos virtuais

A conformidade com o mundo e a banalidade do mal

Cristo nossa páscoa e esperança