Postagens

Ídolos – da construção à necessidade de destruí-los

Imagem
O termo ídolo não é um termo usado em nossa nação comumente. Aparece mais nos discursos evangélicos numa referência a qualquer entidade ou indivíduo reverenciado em outras religiões. E também no meio artístico quando para se referir a um personagem de preferência.
O termo ídolo(dogrego antigoεἴδωλον) significa “simulacro", “figura. Passou a designar no tempo entidadeespiritualoudivina, e frequentemente é associado a ele poderes sobrenaturais, ou a propriedade de permitir uma comunicação entre os mortais e o outro mundo. Aidolatriaé, portanto, a prática de adoração de ídolos.
Porém para as pessoas cultas os tipos mais primitivos de idolatria deixaram de ser atraentes. Apesar da presença da superstição fetichista presente em algumas religiões, já não exercem fascínio sobre uma boa parte da população.
Mas isso não significa que a idolatria tem diminuído. Francis Bacon, filósofo moderno, afirmou que o pensamento humano precisa estar sempre consciente de sua possível tendência a idolatr…

Quando a igreja não presta para mais nada

Imagem
Leitura: Mateus 23
Essa semana uma novela da rede aberta exibiu no seu último capítulo uma cena onde políticos e religiosos estavam unidos celebrando o fato de estarem conseguido poder e dinheiro, uma clara alusão ao atual quadro da política e da religião brasileira, em especial sua versão evangélica.
Quando a cena foi ao ar me perguntei onde foi que a igreja no Brasil perdeu sua credibilidade? Quase todos os ambientes televisivos retratam a igreja de forma negativa, sempre denunciando seus abusos, sua ganância, e sua loucura. E para não deixar mentir tais programas, passei para os canais evangélicos e o que vi foi muito pior do que o retratado na ficção. Um certo pastor estava em locais sagrados em Jerusalém, “ungindo” óleos (supostamente de ouro, prata, petróleo, dimanante) com o qual iria “ungir” os membros de sua seita, com a unção das riquezas.
Qualquer pessoa de bom senso perceberá que pelo menos as versões midiáticas da igreja evangélica, maioria composta por neopentecostais, alg…

CrerSer – O caminho da Graça

Imagem
Cheguei aos meus 36 anos, e sei que isso é quase nada comparado a tantos ao meu redor que já viveram o dobro desse tempo. Porém cheguei aqui passando por coisas que muitos não passaram mesmo tendo o dobro da minha idade. Já foram abandonos diversos, luta constantes contra doenças pela vida, experiência de quase-morte, 2 casamentos, 3 filhas, 21 anos de completa autonomia, 18 anos de pastoreio, 16 de magistratura, 10 de clínica.
Mas apesar dos números ainda estou em processo. Sou obra inacabada, uma poesia que ainda não se completou. Comecei a estudar teologia aos 15 anos, depois fui associando esse estudo a sociologia, pedagogia, psicanálise, filosofia e história, o fruto disso, e ainda não concluído, é uma viagem onde Deus foi deixando de ser, para mim, um conceito forjado na teologia grega para ser aceito como o Mistério.
Nesses anos me identifiquei como católico por mera força da tradição e por estudar na infância numa escola confessional, depois como evangélico, me confessei ca…

Além da religião

Imagem
Já escrevi muito sobre religião, já falei muito sobre o tema. Acho que de tanto falar, numa das minhas últimas exposições, uma pessoa me questionou sobre a frase “eu sou um religioso” dizendo que em outros momentos, segundo ela eu disse não ser. Confesso que não lembro do momento onde afirmei não ser religioso, mas supondo que isso tenha sido verdade, creio que não se trata de uma contradição, mas do contexto onde cada frase foi dita.
Se procurarem nos meus blogs o tema apareceram cerca de 60 textos, que abordaram o conceito de religião, a diferença entre religião e Evangelho, a relação entre transtornos mentais e religião, entre outros.
Assim, podemos voltar uma questão: a religião é algo perigoso para alma? É preciso superar a religião? Evidente que para respondermos essa questão temos que voltar ao conceito de religião. Como já tratamos disso em outros textos, ressalto aqui apenas que não se pode confundir religião com o caminho da fé. Quando isso acontece é uma tragédia para a alma.…

O tédio nosso de cada dia

Imagem
Uma geração vai, e outra geração vem; mas a terra para sempre permanece. Nasce o sol, e o sol se põe, e apressa-se e volta ao seu lugar de onde nasceu. O vento vai para o sul, e faz o seu giro para o norte; continuamente vai girando o vento, e volta fazendo os seus circuitos. Todos os rios vão para o mar, e contudo o mar não se enche; ao lugar para onde os rios vão, para ali tornam eles a correr.
Eclesiastes 1:4-7
O livro de Eclesiastes nos mostra a repetição constante de tudo, afinal não há nada de novo debaixo do sol. Diante de um quadro desses como tornar a vida mais interessante? Para vencer a monotonia e fugir da rotina muitos lotam suas agendas de atividades, e outros ainda mergulham numa busca desenfreada por prazeres, mas não poucos desistem de tudo e deixam a mesmice produzir um cenário de isolamento e tédio.
Os que mergulham na última opção, não veem mais sentido nas ações diárias. Afinal para que trabalhar? Para que encontros de fim de semana? Para que reuniões religiosas? Par…

Qual o sentido da vida? Do mito de Sísifo ao Eclesiastes

Imagem
Leitura: Livro de Eclesiastes
Tudo é vaidade – diz o pregador. Vaidade, expressão que pode significar inútil, vazio, sem sentido. Não há propósito para o trabalho do homem. Não há nada de novo debaixo do sol
Inegavelmente o livro de Eclesiastes trata do sentido da vida. O que vale a pena, nos poucos dias do homem, debaixo do sol? É a pergunta que ele nos faz.
A busca pelo sentido da vida nos conduz a vários tipos de caminho. Uns tomam o caminho do cinismo e se entregam a um hedonismo, transformando a vida num eterno gozar de prazeres; outros tomam o caminho da religião e se afastam de tais prazeres vivendo a vida a partir da privação e do não; e a grande maioria se contenta com os clichês que darão conta de pôr algum sentido na vida, do tipo, “Deus sabe o que faz” “Deus escreve certo por linhas tortas”. Deus, nos dois últimos casos, é o que usamos para nos esquivar da vaidade da vida.
Porém o livro de Eclesiastes não quer maquiar a vida, quer tratar a realidade de maneira nua e crua. Bu…

Como ser de Cristo sem ser do cristianismo?

Imagem
Sempre foi para mim uma dificuldade em me associar ao cristianismo, em especial a vertente evangélica. Primeiro por causa da má fama que possuíam e não queria me associar com essa fama, como hipócritas, que só pensam em dinheiro, que são arrogantes por acharem que só eles são filhos de Deus e vão ser salvos, entre outras, e em segundo por causa das minhas características pessoais, minha liberdade, espontaneidade, que sempre foram um problema por onde andei. No entanto nunca tive vergonha do Evangelho ou do Cristo, porém levou um tempo até eu conseguir separar Cristo de cristianismo e assim me livrar desse problema.
Sim! Cristianismo e Evangelho não são necessariamente a mesma coisa e muito menos dependente. É possível se converter a um sem ser converter ao outro, aliás isso é muito comum.
O Cristianismo é uma religião como qualquer outra, e, do ponto de vista do resultado histórico e existencial, o Cristianismo é tudo, menos a melhor religião.
Inegavelmente está à frente de religiões an…